Filhos que vão estudar fora, cursos internacionais, doações a empresas estrangeiras. Os motivos são variados, e é cada vez mais comum passar por situações em que se precisa fazer uma remessa internacional. Trata-se de um termo muito utilizado no dia a dia, mas que pouca gente conhece. Afinal, o que é uma remessa internacional e como se faz esse tipo de operação? É possível fazer isso com uma empresa de câmbio? Qual é o valor máximo dessa remessa de dinheiro?

Por se tratar de uma operação de câmbio, a remessa internacional é regulamentada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e fiscalizado pelo Banco Central (BC). No entanto, isso não significa que seja algo complicado ou burocrático, não sendo necessário nenhum tipo de autorização governamental para fazer a remessa internacional. Dependendo da quantia enviada é preciso nem mesmo formalizar um contrato de câmbio e comprovar origem dos recursos.

Para entender melhor como funciona uma remessa internacional, é preciso saber que ela pode ser feita de duas maneiras diferentes:

  • Remessa Expressa que chega ao destino em até 30 minutos para montantes de até US& 3000 ou valor correspondente em outra moeda;
  • Transferência Internacional por canal bancário (Swift/Ibann), também conhecida por ordem de pagamento internacional, para quaisquer montante, porém, com características próprias do propósito final do pagamento.

Para fazer transferência internacional por ordem de pagamento (canal bancário), o remetente precisa procurar uma instituição financeira autorizada a operar no mercado de câmbio: pode ser um banco, Casa de Câmbio, distribuidora e sociedade de crédito, financiamento e investimento. A lista completa dos autorizados pode ser encontrada no site do BC. O pagamento é exclusivo por débito em conta ou por transferência bancária do próprio remetente.

Os documentos exigidos para a transferência internacional variam de acordo com a instituição. Normalmente os dados mais importantes são a identificação do remetente, da operação, da origem dos recursos para volumes altos e da instituição no exterior para onde será feita a remessa, além do endereço e da identificação do beneficiário.

No caso de uma remessa expressa, a operação só pode ser feita entre Pessoas Físicas e está limitado a US$ 3.000/mês (existe limite anual para essa modalidade simplificada) ou valor correspondente em outra moeda estrangeira. A documentação é bem mais simples, como identificação do remetente e informações do país onde o recebedor esta. Para montantes até R$ 10.000 o pagamento pode ser feito em dinheiro, acima disso só por TED da conta do remetente.

Conheça a Remessa Expressa DAYPAY, o jeito mais simples de enviar recursos ao exterior.

Quais as taxas para remessa internacional?

Não existe valor mínimo ou máximo para a realização de remessas. Os preços cobrados pelo serviço podem variar, mas costumam incluir o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), um percentual sobre o montante transferido, além de taxas administrativas.

Por isso, é importante contar com uma empresa de câmbio que ofereças as melhores taxas e condições para fazer uma remessa internacional. O DayCâmbio pode ajudar nesse processo, via envio pelo DayPay ou recebimentos da Western Union. O DayPay é reconhecida em todo o mundo e opera seus recebimentos no exterior com a Western Union,  empresa líder global em transferências internacionais de dinheiro, uma empresa com mais de 75 anos no segmento de pagamentos eletrônicos.

Quer fazer uma remessa internacional?

DayCâmbio –  Rede de casas de câmbio do Grupo Daycoval.

Converse agora com nossa equipe, temos diversos canais de contato para tirar suas dúvidas e fechar o melhor negócio. São mais de 80 lojas de câmbio em todo o Brasil para um bom negócio!